Menino de 12 anos rouba cartão de crédito da mãe e viaja sozinho para Bali

Depois de ter pedido negado pela família para viajar para Indonésia, um menino de 12 anos rouba  cartão de crédito da mãe e viaja sozinho para Bali. O adolescente ainda enganou sua avó, tendo acesso ao seu passaporte.

A notícia saiu no jornal The Guardian e está rodando todo o mundo. O rapazinho teve cuidado de  pesquisar companhias aéreas que permitem embarques de menores desacompanhados, ainda fez reservas no hotel. Tudo isso sozinho, sem ajuda de nenhum adulto.

Menino de 12 anos rouba cartão de crédito da mãe e viaja sozinho para Bali

Menino de 12 anos rouba cartão de crédito da mãe e viaja sozinho para Bali

No dia da viagem, o menino se despediu dos familiares, dizendo ir à escola, porém, foi em direção ao metrô que levava ao aeroporto. O adolescente é morador de Sydney, na Austrália, que voou da cidade natal para Perth, depois para Indonésia. Ele fez conexão sozinho!  Mesmo para viajante experiente, fazer conexões pode ser pouco confuso. E o nosso viajante mirim fez sem nenhum problema!
Ao chegar no hotel, o menino ainda despistou funcionários, alegando que sua irmão chegaria mais tarde.

O jovem foi interrogado apenas em Perth, ainda na Austrália, quando funcionários do aeroporto pediram para ele provar sua idade. “Eles só pediram minha carteira de estudante e meu passaporte para mostrar que eu tenho mais de 12 anos e que estou na escola, contou o adolescente ao programa australiano. “Foi ótimo porque eu queria ir em uma aventura”, finaliza.

Os familiares só ficaram sabendo da viagem quando a escola ligou falando da ausência dele às aulas. Sua família se esforçou para descobrir o paradeiro do garoto. Sua mãe teve que ir em Bali buscá-lo.

 

Deivson Santana

Capixaba de 25 anos, ama o Espírito Santo, mas adora desbravar lugares novos. É o tipo de viajante de gosta de conforto e luxo, como um bom taurino. Está no instagram como @deivsantana

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. Viajento disse:

    Hahahha, que aventura. Adorei, mas se fosse meu filho ele seria deserdado – ou no mínimo ficar de castigo por um longo, longo tempo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *