Mochilar pelo Brasil a pé: Uma história de vida tranformadora





Já pensou em colocar uma mochila nas costas e mochilar, né? Muita gente tem um sonho parecido. Mas a do mineiro Rodrigo Gasparini é um pouco diferente. Ele foi mochilar pelo Brasil a pé. Em outubro de 2017 Rodrigo começou sua jornada em Vitória. A ideia inicial do projeto é mochilar pelo litoral, por isso sua largada começou na capital capixaba.

Mochilar pelo Brasil a pé – a História do Rodrigo

O jovem de 30 anos, sempre gostou de trilhas desde criança, o que fez ter uma certa liberdade com a natureza, por isso o desejo de percorrer vários lugares do mundo afora andando. Rodrigo conta que não tem destino final, que irá até onde seu corpo aguentar.

” Tenho vontade de fazer América do Sul toda, vontade de girar o mundo todo andando. Só quero parar quando meu corpo não aguentar mais”, relata Rodrigo.

<

Galera me pergunta onde eu durmo, quanto gasto por dia, quantos kms ando…. Então, durmo quase sempre na beira da praia, onde nao tem gente (sempre mais seguro) venta (nao tem muriçoca e nao morro de calor) Gasto na média de 25 reais por dia. Com água e comida. Carrego fogareiro pra sempre poder fazer comida e só assim fica mais barato. Sempre ando com lentilha, macarrão. Ganho mta marmita, pao…galera ajuda mesmo. Ando normalmente uns 24,26km..que da 6horas, média de 4km/h. Intervalos a cada 1 hora de 10 a 20min pra descansar a coluna…aproveito pra alongar, meditar, comer, entrar no mar Nunca passei nenhuma situação ruim além de cachorros correndo na sua direção…mas todos so defendendo seu território, então nao aconteceu nd. E a cada segundo me apaixono e vício por todos os lugares, seres e momentos. Sempre com muito amor ? . . . . #andarilho #naturephoto #pernambuco #trekking #trekkingbrasil #mochileiro #mochileiros #viajantes #hiking #nordeste

Uma publicação compartilhada por DIGÃO ? (@toandando) em

mochilar a pé pelo Brasil

Foto: Rodrigo Gasparini – Reprodução autorizada pelo autor

Mas antes de cair na estrada de verdade, ele fez um teste de 8 dias, percorrendo 180 km no Estado da Bahia. Após, a primeira parte  da sua jornada começou em Vitória com destino final a cidade de Patigi, na Bahia, onde parou para trabalhar. Só nesse percuro foram percorridos 750 Km. E a sua segunda etapa foi de Aracaju até Olinda. Hoje, Rodrigo já acumula 1.122Km percorridos.

Ao ser perguntando sobre qual foi os pior perrengue que já enfrentou, ele nos conta que ficou preso  entre o mar e a falésia em Costa Dourada, na Bahia.

“…A solução que vi, foi subir uma pedra que era mais alta.  Sorte que olhei pro lado e e estava o topo da falésia logo ao lado…” conta o Rodrigo.

mochilar a pé pelo Brasil

Foto: Rodrigo Gasparini – Reprodução autorizada pelo autor

E ao ser perguntado sobre as melhores coisas que acontecem em uma viagem nesse estilo, Rodrigo nos relata que é ser bem recebido pelas pessoas, a troca de energia e histórias, além de aproveitar cada momento que parece ser banal para quem vive num mundo dentro já no automático, como contemplar a lua cheia, barulho do mar, fogueira, etc.

E para encerrar, Rodrigo nos conta que foi a melhor coisa que já fez da vida até agora. “…Auto conhecimento. Liberdade. E puro amor e carinho o tempo todo.”, finaliza o jovem mochileiro.

Dicas importantes

  • Rodrigo gasta em média de R$25 por dia. Normalmente ele carrega um fogareiro, o que permite dele cozinhar sua comida.
  • Ele ganha algumas coisas, como pão, alguma refeição, etc.
  • Antes de executar um projeto desse, é importante ter um feito pesquisas antes, sobre tudo.

Deivson Santana

Capixaba de 25 anos, ama o Espírito Santo, mas adora desbravar lugares novos. É o tipo de viajante de gosta de conforto e luxo, como um bom taurino. Está no instagram como @deivsantana

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *