Dicas de Expatriados – Montando negócio de sucesso no Chile

Hoje, vamos falar de mais uma história linda, aqui na coluna Dicas de Expatriados. Dessa vez conversamos com a Camila Lisbôa, que é editora do O Melhor Mês do Ano, um blog de viagem com várias dica maravilhosas, além de dicas ótimas  sobre a América do Sul em peso.

Camila é paulistana e ex engenheira. Largou a vida de funcionário subordinado para um mochilão, se apaixonou pelo Chile, e hoje é dona de um dos hostels mais concorridos de Chiloè, no Chile. Interessante essa mudança da água pro vinho, né? É sem dúvida, uma história que vai ter inspirar a pensar na decisão de  mudar os ares.

Dicas de Expatriados – A Mudança 

1 – Por quê ir embora e recomeçar a vida em outro país? E a quanto tempo você mora fora?

Bom, não foi nada planejado.. Aconteceu! Eu estava viajando pelo Chile e acabei decidindo ficar por um ano… A ideia veio quando eu já estava trabalhando com o blog e meio que dava na mesma onde eu estivesse. Vim para ficar um período e já faz quase 3 anos.

2- Quais foram os principais fatores que te levaram a tomar a decisão?

Segurança no Brasil e um pouco de mudança de ares. O Chile é um país mais organizado que achei que seria uma boa ideia para recomeçar com outra carreira.

3- O processo de ir legalizado foi demorado? Conta um pouco como foi, a preparação e tudo mais sobre essa etapa.

É bem fácil até. Brasileiros, pelo acordo do Mercosul, podem pedir um visto provisório de um ano com permissão de trabalhar. É pouca burocracia – precisa só do passaporte, de um papel que te dão na entrada no país e fotos. Demora, mas é tranquilo… Contei mais detalhes no artigo que escrevi no meu blog

4 – Como foi sua adaptação por aí?

Hm, não tão fácil. Tem vários fatores, tipo o clima – acostumar viver em um lugar que chove tanto igual aqui no sul do Chile é terrível! E a centralização que o país tem em Santiago. Viver em Santiago até que é fácil, mas viver a mais de 1000 km de lá complica um pouco.

Ah, a comida é difícil de adaptar também, é muito diferente da nossa. Vejo muito brasileiro que reclama da comida chilena quando vem pra cá, mas não dá uma chance para provar os sabores diferentes… Quando me acostumei com comer frutos do mar, por exemplo, minha alimentação melhorou 100%. Ah, e o onipresente abacate. Se não gosta vai sofrer demais, rs.

O machismo também é um ponto dificílimo de se adaptar… é cultural e está em tudo! Acho que é a única coisa que ainda me tira do sério por aqui e nunca vou me acostumar.

5- Como você vê o lugar onde mora? Se arrepende da decisão de ter largado carreira, família e amigos no Brasil e começar tudo novamente no exterior?

Ah, eu adoro aqui. Além de ser lindo, tem o fator trabalho né… ter um hostel é uma experiência super diferente e eu acabo vivendo entre viajantes o dia todo, conheço muito mais gringos que chilenos!

Lógico que a família e amigos fazem falta, mas sempre tento ir ao Brasil pelo menos uma vez ao ano, e aí dá pra matar a saudade.
dicas de expatriado - morando no chile

6- Quais as principais diferenças entre a cultura de um lugar e outro?

Por estarmos no mesmo continente, achei que seria mais parecido… Mas é completamente diferente, outro mundo mesmo… Os chilenos não tem muito de ‘latinos’, nem tem como comparar.

7- O que há de pior na cultura local?

Acho que além do machismo, o pior do Chile é a língua. Olha, se você sabe espanhol e vem pra cá… sinto muito, não vai ajudar tanto assim, rs. O chileno tem uma linguagem própria, cheia de gírias e falam rápido demais! Jesus… demorei demais pra começar a entender!

8 – O que é impagável na mudança de país?

A experiência como um todo. Cada dia tem um mini desafio diferente e acho que cresci muito nesses anos por aqui :)

Sobre o La Minga Hostel

1 – Como surgiu a ideia do Hostel? Conta pra gente um pouco sobre isso.

A decisão de vir pro Chile na verdade nem foi uma decisão… aconteceu! Eu estava viajando pelo Chile e pela Argentina e, como estava trabalhando só com o blog, podia estar em qualquer lugar do mundo, certo? Aí decidi vir pro Chile pra ficar um tempo… talvez um ano (isso há quase 3 anos, rs).
Acabei tendo tempo para amadurecer a ideia de abrir um hostel no sul do Chile – a ideia sempre foi ser no sul, pra ter uma baixa temporada beeeeem baixa e poder fechar o hostel pra ter férias.
A primeira ideia foi Puerto Natales, lugar base para conhecer Torres del Paine, um dos meus destinos preferidos no Chile. Caríssimo! Não dava, não tinha grana suficiente para investir.
Depois Puerto Varas, cidade linda… Mas foi difícil encontrar uma casa legal, bem localizada… Além do que a competição é forte demais por lá!
E Chiloé surgiu… em uma viagem curta para visitar um colega que vive aqui em Castro e pronto, tava decidido! Poucos hosteis para competir e em menos de um mês encontrei a casa “perfeita”, a um quarteirão da Plaza de Armas e pertinho de tudo! (Só tava destruída, mas isso a gente resolve, rs).

Foto Reprodução

A dona da casa fez as manutenções que eram mais que necessárias e em 20 de outubro do ano passado abri o La Minga Hostel e de lá pra cá já recebi mais de 2000 pessoas do mundo todo! E temos uma nota legal no Booking e Trip Advisor :)
Dá muito trabalho… tem dias que estou das 8 da manhã até a meia noite. Não tenho dia de folga. Nunca!
Mas vale a pena ;)

 

Deivson Santana

Capixaba de 23 anos, ama o Espírito Santo, mas adora desbravar lugares novos. Viajante muquirana, mas que curte comer bem e gosta de hospedagem confortável. É o tipo que faz tudo por pontos aéreos.

Você pode gostar...

6 Resultados

  1. Deiv, enrolamos mas saiu o post ne? Amei como ficou :) e adoro dividir essa experiencia louca de ser dona de hostel! Até me inspirou para chorar as pitangas dos problemas no blog.. rs… vamos ver se sai mais um post de como é ser dona de hostel (e os stresses que os hospedes fazem a gente passar!)

    • Deivson Santana disse:

      demorou meses, mas saiu!!! hahahahahaha queremos saber da sua vida do Chile! ahahahaha Imagino o estresse, não deve ser fácil.

  2. Adorei a entrevista, adoro a Camila e adoro o La Minga, apesar de ter sido brevíssima a minha passagem por lá. Mas tem lugares e pessoas que marcam.

  3. Renilza disse:

    Camila,David, estou super interessada em fazer isso, será que conseguiria?
    Gostaria de trocar idéias sobre sua experiência, passei um mes no Chile fazendo voluntariado, você tem este tipo de hospedagem aí?

    Abraço o post ficou ótimo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *